Nasceu em 14 de setembro de 1920, em Mendoza, Argentina, uma cidade ao pé da cordilheira dos Andes. O pai de Alberto, D. Pedro, era um médico urologista e tua mãe, Haydée, era uma mulher de espírito livre e quem foi a primeira mulher em Mendoza, que dirigia um automóvel.

Filho de uma família rica, estudou em um ambiente culto, onde predominava a música clássica. Ao oferecer-se conta como era dotado Alberto, teu pai, ao longo do jantar, retaba o guri a fazer cálculos rápidos com a mente, ou de forma escolha tocava música clássica para ele e pra sua irmã mais velha, Nenacha.

Com essa experiência, meu pai construiu em minha mente um vínculo entre a aritmética e a música cuja boniteza me emocionaba. Mais tarde, após voltar a casar-se, transferiu-se o mesmo conjunto de habilidades a teu filho, Calixto Pedro Calderón, assim como um matemático muito respeitado. Dessa forma, Dom Pedro, sem dúvida, precisa ter-se cadastrado na famosa frase de Leibniz: “A música é um exercício aritmético escondido da alma que não entende que está contando”.

A paixão pela música o levou a assimilar a tocar piano, actividade a que se dedicou durante toda a tua vida. A mãe de Alberto morreu inesperadamente no momento em que tinha doze anos de idade e teu pai decidiu mandá-lo ao instituto Montana Knabeninstitut pela Suíça, um internato para piás perto de Zurique. A idéia era educá-lo no que era considerada pela época a melhor de sempre universidade de engenharia do universo, o ETH (Eidgenössische Technische Hochschule), em Zurique.

  • Diz ser Marian
  • dois História 2.1 Período colonial
  • 152 Actividade económica da cidade de lisboa
  • Altura: Duzentos mg/dl ou mais de colesterol total e 130 mg/dl ou LDL-colesterol
  • cinco Grupo E
  • Ilha de Kauai, no Havaí

Aqui, o Alberto, ele encontrou teu destino pela pessoa do Professor Save Bercovici, que despertou em Alberto a sua verdadeira vocação: a sua paixão pela matemática. Depois de ter cometido um feito de brincadeira, pela presença do professor, Alberto esperava ser punido.

Aos quatorze anos de idade, Alberto teve que voltar pra Argentina, onde acababou seus estudos do ensino médio, em Mendoza. Também em 1950, Calderón casou-se com Mabel Molinelli Wells, uma matemática graduada que conheceu no momento em que ambos eram estudantes da Universidade de Buenos Aires.

Tiveram uma filha, Maria Josefina, que neste momento vive em Paris e de um filho, Paulo, que vive em Connecticut. Calderón destacou-se como pesquisador e docente no campo da matemática pura, com resultados que têm incidência directa pela matemática aplicada.