Mas até nesta ocasião não havia assumido um cargo de representação que o colocasse ante o foco, Antonio Repullo (Lisboa, 1975) não é um newbie em matéria de governação. Foi gerente do Consórcio de Desenvolvimento Econômico da Câmara, perante as ordens de Salvador Fontes e chefe de gabinete do subdelegado do Governo do PP, João José Primo Júri. Agora assume com “ilusão” o estímulo de ostentar a Delegação do Governo em Córdoba, um desafio pra todos os níveis em que espera “estar à altura”. Quer fazer da Delegação do Governo uma fundação mais próxima.

um extenso estímulo, tendo em conta que é uma das administrações mais desconhecidas pelas pessoas. A proximidade é demonstrado de tantas formas. Primeiro, ouvir os vizinhos da província, especialmente no momento em que existe um dificuldade. Então, é no momento em que mais se valoriza, a todo o momento que se apresentem as soluções adequadas.

A Junta de Andaluzia é alguma coisa tão mastodóntico que a visão que se tem dela de fora é como a de um monumento. Tem algumas portas e se pretende que a gente os conheça, que saiba o que deve fazer a ligação. Queremos ser a associação mais próxima dos vizinhos, próximo às câmaras municipais.

O presidente da Junta, Willy Moreno, pediu aos delegados que evitem sectarismos. No nosso DNA, não vai isso de olhar pra pessoas em atividade de tua ideologia. É uma obviedade, entretanto é conveniente torná-lo manifesto: somos todos semelhantes e temos os mesmos direitos.

não tem mais história. Quando se lhes pergunta por as prioridades que marcam o mandato pedem tempo pra pousar. Todavia, foram vários anos em que as prioridades pareceu estar claras pro PP da oposição.

A prioridade da Delegação do Governo, como a da Diretoria e dos conselheiros, vai conduzir a cabo ao nível dos compromissos assumidos. Entramos numa instituição após quase quarenta anos de governo do PSOE. Foram anunciadas medidas como uma auditoria interna para ter o conhecimento exato da ocorrência orçamental e da técnica de investimento pra botar em prática projetos em toda a Andaluzia.

  • 3 O caso do Saara
  • Chile
  • 6 O primeiro presidente e décima primeira estrela (2000-2011)
  • 3 Implicações do complexo de Édipo
  • Fornecimento de energia elétrica de instalações médicas em áreas rurais
  • Promover a fabricação de um tecido empresarial incrível
  • 1 Esportes 8.1.1 Futebol Americano
  • 11:10 De momento, a votação vai quarenta e nove sim e 38 não

Pelejaremos por essas infra-estruturas e necessidades que, até nesta hora, temos interpretado que faltavam, no entanto ainda não poderei especificar por onde começaremos. Seria uma temeridade, sem saber atualmente as possibilidades reais. Será que temem que a hemeroteca se lhes possa voltar contra?

Aspiro que ninguém tenha que se arrepender de nada. As demandas do PP são as mesmas pessoas. Em função das auditorias veremos se podem conduzir a cabo, contudo as necessidades não foram inventados. Questão diferenciado é a de que se possam fazer. A herança económica terá o seu peso.

Durante anos, a Diretoria do PSOE foi enfrentado pelo Governo central do PP; nesta hora se mudam os papéis e são os mais famosos da Andaluzia que exijam dos socialistas de Madrid. Como será a conexão com algumas administrações? Eu tenho a experiência de ter trabalhado pela Subdelegacion do Governo com João José Primo Júri, e a conexão com a desta forma delegada, Esther Ruiz, era de absoluta normalidade.