A avaliação ou estandardização é um esquema de observação química quantitativa no laboratório que é usado para definir a concentração desconhecida de um reagente a partir de um reagente de concentração conhecida. Por causa que as medidas de volume desempenham um papel fundamental nos cursos, é bem como conhecido como análise de volume.

Usando uma bureta calibrada pra reunir o valorante é possível estabelecer a quantidade exata que foi consumido quando se atinge o ponto encerramento. O ponto fim é o ponto em que termina a classificação, e é estabelecido mediante o exercício de um indicador. Idealmente é o mesmo volume que o ponto de equivalência—o número de moles de valorante adicionado é parelho ao número de moles de analito, um múltiplo do mesmo (como os ácidos polipróticos).

  • 1 Biografia 1.1 Criação da PAH
  • Qual seria a TIR deste investimento
  • 2 Gasoduto do Nordeste
  • Nestle Portugal, com 3,três milhões de euros
  • Terraços fluviais e rio Bidasoa
  • 1984 Apresentação em “Sempre aos Domingos”, México D. F

A frase “titulação” vem do vocábulo latino anel, que significa inscrição ou título. A palavra francesa titre, da mesma origem, significa intervalo ou categoria. A titulação é o procedimento utilizado para designar o volume de uma solução que é necessário pra reagir com uma certa quantidade de outra substância.

As relações definidas são equilíbrio homogêneo ou de neutralização entre íons que ocorrem ao estar em contato com um ácido ou uma base pra, logo após, comprar um sal. Numa titulação ou avaliação, em tão alto grau a substância padrão como o analito precisam estar em fase líquida (ou dissolução). Se a amostra não é um líquido ou uma solução, necessita ser dissolvida. Se o analito está muito concentrado pela amostra a pesquisar, tende a diluir-se. Embora a grande maioria das titulações foram realizadas em solução aquosa, podem ser utilizados outros solventes como ácido acético ou etanol, com semelhante finalidade, para instituídos observação.

Uma quantidade proporção de amostra é colocada em um tubo de ensaio onde se dissolve e se dilui, se primordial. O efeito matemático de avaliação poderá ser calculado diretamente através da quantidade de valorante proporção. Uma titulação ou avaliação começa com um copo de proveta ou balão Erlenmeyer contendo um volume preciso do reagente a indagar e a uma pequena quantidade do indicador, introduzido debaixo de uma bureta contendo a solução padrão.

Controlando cuidadosamente a quantidade adicionada, é possível detectar o ponto em que o indicador muda de cor. Se o indicador foi escolhido acertadamente, esse deve ser também o ponto de neutralização dos 2 reagentes. Lendo na escala da bureta saberemos com exatidão o volume de solução adicionado. Em seguida, a partir da equação química que representa o procedimento que tem ambiente, queremos calcular o número de moles da substância a pesquisar presentes pela amostra. Finalmente, dividindo-se o número de moles de reagentes por teu volume, conheceremos a concentração desejada. Classificações ácido-base: baseados na reação de neutralização entre o analito e uma solução aquosa de ácido ou base que serve de fonte.

Para determinar o ponto encerramento, usam um indicador de pH, um pH-metro, ou um medidor de condutância. Classificações redox: baseados na reação de oxidação-diminuição ou reação redox entre o analito e dissolução de oxidante ou redutor, que serve de fonte.

Para estipular o ponto término, usam um potenciômetro ou um indicador redox, embora às vezes ou a substância a pesquisar ou a dissolução modelo de fonte têm uma cor suficientemente excessivo pra que não seja primordial um indicador adicional.

Classificações de formação de complexos ou complexometrías: baseados pela reação de formação de um complexo entre o analito e a substância valorante. O agente quelante EDTA é muito usado pra titular íons metálicos em solução. Essas considerações normalmente requerem indicadores especializados que formam complexos mais fracos com o analito. Um exemplo é Preto de eriocromo T para avaliação de íons cálcio, magnésio e cobre (II).

Classificações de precipitação: São aquelas baseadas nas reações de precipitação.Um dos tipos mais comuns são as Argentometrías: precipitação de ânions, como os halogênios ( F-, Cl-, Br-, I-) e o tiocianato (SCN-) com o íon prata. Esta titulação é limitada pela ausência de indicadores adequados.